The Pillars of Our Salvation

0
"The pillars of salvation" by Flavia Ghelardi (CatholicMom.com)

Image credit: By Tom Van De Peer (2016), Flickr.com, CC BY NC 2.0

Flávia Ghelardi writes from Brazil in English and Portuguese. Jump to the English version of this post.

OS PILARES PARA A NOSSA SALVAÇÃO

Não há nada mais importante em nossa vida do que cuidar da salvação de nossa alma. Sabemos que tudo nessa vida passa e que só a nossa alma é eterna, então cuidar do lugar onde passaremos a eternidade deve ser nossa prioridade.

O Céu pode ser definido como uma união completa com Deus, nosso Criador, que é Amor. Então, para um dia estarmos unidos ao Amor, precisamos procurar, ainda aqui nessa vida, um pouco dessa união. Para isso, a Igreja, nossa Mãe e que deseja que todos os seus filhos sejam salvos, oferece todos os meios necessários para que isso seja possível.

Além dos requisitos essenciais (ser batizado e ter fé), existem três pilares sobre os quais a nossa salvação se sustenta: a oração, a confissão e a eucaristia. Sem eles, a união total com o Amor na eternidade é muito difícil, ou praticamente impossível.

A oração é o diálogo pessoal com Deus. Não é possível passar a eternidade com uma pessoa com quem nunca conversamos, ou falamos muito pouco, ou ainda só falamos quando precisamos de alguma coisa. Para nos unirmos a Deus, precisamos procurar conhecê-lo, ver sua atuação em nossa vida e para isso que serve a oração. Existem muitas formas de rezar, mas a mais propícia para esse encontro com o Deus da minha vida é a oração meditativa.

São várias as técnicas para uma boa meditação e a vida dos santos está repleta delas. A que sugiro aqui é uma ensinada pelo Pe. José Kentenich, fundador do Movimento Apostólico de Schoenstatt. Ele ensina que devemos saborear os acontecimentos da nossa vida, tentando enxergar a mão de Deus em cada coisa que nos acontece, tanto as boas como as que não são agradáveis.

Para isso, precisamos reservar algum tempo do nosso dia (no mínimo 15 minutos) onde nos colocamos em um lugar calmo, pedimos ao Espírito Santo que nos ilumine e nos ajude a encontrar com o Pai e escolhemos um acontecimento do dia anterior para meditarmos. Em vista desse fato, fazemos três perguntas: 1) O que Deus quer me dizer com isso? 2) o que eu digo a mim mesmo? 3) O que respondo a Deus?

A resposta a essas perguntas nos ajuda a enxergar a divina providência em nossa vida. O objetivo principal da meditação é conhecer para amar. Se conseguimos ver Deus por trás desses acontecimentos, vemos como Ele cuida de nós com amor infinito e assim, conseguimos também responder a esse amor. Só ama quem se sente primeiro amado. E Deus nos amou primeiro!

Outro pilar para a nossa salvação é o sacramento da confissão. O pecado nos afasta de Deus, pois escolhemos a satisfação de um desejo que nos faz mal, ao invés de permanecermos fiéis aos ensinamentos de nosso Pai. Assim, a confissão nos reconcilia com Deus, retoma o estado de amizade que o pecado havia desfeito. Devemos recorrer a esse sacramento com a maior frequência possível, mesmo que não tenhamos pecado gravemente, pois ele também nos ajuda a crescer em santidade, nos dando forças para resistirmos às tentações.

Por fim temos o mais importante, o mais sublime ato de amor que Deus poderia ter feito: a eucaristia. Na Sagrada Comunhão Deus se dá a si mesmo como alimento, para se unir a nós e se tornar uma só carne conosco! Nossa inteligência é muito limitada para entender a grandeza da eucaristia e nossa fé também é muito fraca. Quem realmente tem um pequeno vislumbre dessa maravilha, não quer passar um dia sequer sem receber Jesus Eucarístico.

Receber a eucaristia é já possuir o Céu aqui na terra. É unir-se a Jesus da maneira mais perfeita possível que podemos ainda nesse mundo. Durante os cerca de quinze minutos que a sagrada espécie está em nosso corpo, mesmo que nossos sentidos não percebam, somos um com Deus, como seremos um dia na eternidade. “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo.” (Mt 28,20). A forma pela qual Jesus cumpre essa promessa é através da sua Real Presença do Santíssimo Sacramento.

Assim, para chegarmos um dia ao Céu, precisamos buscar incessantemente a santidade, que consiste basicamente em aprendermos a amar para podermos nos unir ao Amor. Para isso, precisamos, pouco a pouco, acabar com o nosso egoísmo que nos aprisiona em nossos desejos, buscando uma maior vinculação a Deus, procurando amá-lo cada dia mais e provando nosso amor saindo de nós mesmos para nos entregar ao serviço do outro.

The Pillars of Our Salvation


The Pillars of Our Salvation

There is nothing more important in our lives than caring for the salvation of our souls. We know that everything in this life goes on and that only our soul is eternal, so taking care of where we spend eternity should be our priority.

Heaven can be defined as a complete union with God, our Creator, who is Love. So that we may one day be united with Love, we need to look, even here in this life, for some of this union. To this end, the Church, our Mother, who wants all her children to be saved, offers all the necessary means to make this possible.

In addition to the essential requirements (being baptized and having faith), there are three pillars upon which our salvation rests: prayer, confession, and the Eucharist. Without them, total union with Love in eternity is very difficult, or practically impossible.

Prayer is personal dialogue with God. It is not possible to spend eternity with a person with whom we have never talked, or said very little, or only when we need something. To unite with God, we need to seek to know Him, to see how He works in our lives, and this is what prayer is for. There are many ways to pray, but the most conducive to this encounter with the God of my life is meditative prayer.

There are various techniques for good meditation, and the life of the saints is full of them. The one I suggest here is one taught by Father Joseph Kentenich, founder of the Schoenstatt Apostolic Movement. He teaches that we should savor the events of our lives, trying to see God’s hand in everything that happens to us, both good and unpleasant.

For this we need to set aside some time of our day (at least 15 minutes) where we put ourselves in a quiet place, ask the Holy Spirit to enlighten us and help us meet with the Father, and choose an event from the day before to meditate. In view of this fact, we ask three questions: 1) What does God want to tell me about this? 2) What do I say to myself? 3) What do I answer to God?

Answering these questions helps us see the divine providence in our lives. The main purpose of meditation is to know so we can love. If we can see God behind these events, we see how He cares for us with infinite love and so we can respond to that love as well. Only love who feels first loved. And God loved us first!

Another pillar for our salvation is the sacrament of confession. Sin takes us away from God, for we choose to fulfill a desire that is bad for us, instead of remaining true to our Father’s teachings. Thus, confession reconciles us with God, restoring the state of friendship that sin had broken. We should use this sacrament as often as possible, for it also helps us grow in holiness, giving us the strength to resist temptation.

Finally, we have the most important, the most sublime act of love that God could have done: the Eucharist. In Holy Communion God gives Himself as food to unite with us and become one flesh with us! Our intelligence is too limited to understand the greatness of the Eucharist, and our faith is too weak. Anyone who really has a glimpse of this wonder does not let a day goes by without receiving the Eucharistic Jesus.

To receive the Eucharist is already to have Heaven here on earth. It is to unite with Jesus as perfectly as possible that we can, while we are still in this world. During the fifteen minutes or so that the sacred species is in our body, even though our senses do not realize it, we are one with God, as we will be one day in eternity. “Behold, I am with you always, unto the end of the world.” (Matthew 28:20). The way in which Jesus fulfills this promise is through His Real Presence in the Blessed Sacrament.

Thus, in order to go to Heaven one day, we must continually seek holiness, which consists essentially of learning to love so that we can unite with Love. For this we need, little by little, to end our selfishness that imprisons us in our desires, seeking greater attachment to God, seeking to love Him more each day and proving our love by going out of ourselves to give ourselves to the service of others.


Copyright 2019 Flávia Ghelardi

Share.

About Author

Flávia Ghelardi is the mom of four, a former lawyer already "promoted" to full time mom. Flávia published her first book FORTALECENDO SUA FAMÍLIA and is a member of Schoenstatt´s Apostolic Movement. Flávia loves to speak about motherhood and the important role of women, as desired by God, for our society. She blogs at www.fortalecendosuafamilia.blogspot.com.

Leave A Reply

Notify me of followup comments via e-mail. You can also subscribe without commenting.